Google+ Followers

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Tomando a decisão correta!

Josué fez um acordo de paz com os gibeonitas, prometendo que não seriam mortos. E os líderes do povo de Israel juraram que cumpririam a sua palavra. Três dias depois de feito o acordo, descobriram que aquela gente morava perto. Tanto assim que os israelitas saíram do acampamento e três dias depois chegaram às cidades onde os gibeonitas viviam, isto é, Gibeão, Cefira, Beerote e Quiriate-Jearim. Porém, por causa do juramento que os seus líderes tinham feito aos gibeonitas em nome do Senhor, o Deus de Israel, os israelitas não os mataram. E por isso todo o povo reclamou contra os líderes, mas eles explicaram assim:
— Nós juramos em nome do Senhor, o Deus de Israel, e agora não podemos fazer nada contra os gibeonitas. Por causa da nossa promessa temos de deixá-los viver; se não, Deus nos castigará. Js 9:15-20

Tomamos decisões a todo momento. Se estaremos na igreja neste ou naquele fim de semana, se iremos com mais ou menos roupas, o que vamos comer no almoço e na janta... entre muitas outras e essas são decisões impulsivas do nosso cotidiano, onde através da nossa experiência de vida sabemos o que fazer ou não, mas há aquelas que refletimos e pesamos as possíveis consequências como, qual faculdade cursar... em qual curso se graduar... aceitar ou não determinada vaga de emprego... ser esta ou este minha esposa ou marido. Quero tratar três questões importantes: o que é agradável ao Senhor? Qual o método para se ter discernimento? E, quando pedir o conselho de Deus?
Primeiramente, Existe sim uma vontade de Deus para sua vida. Existem coisas que agradam e coisas que não agradam a Ele. (Procurem descobrir quais são as coisas que agradam ao Senhor Ef 5:10). Tudo que está fora do centro da vontade de Deus, por mais que tentamos dizer que é revestido do bem, de coisas boas, não agrada a Deus. A única atitude nossa que agrada a Deus são aquelas que estão no centro da sua vontade, aquilo que Ele quer para nós. Temos que tomar muito cuidado para não negociarmos os princípios cristãos, pois estes são inegociáveis, porém infelizmente o que se vê hoje em dia é o contrario, mas não vou entrar nesse tema. Temos também aqueles princípios familiares, que são passados de geração a geração e que são permeados por tradições e costumes e há também os princípios culturais e sub culturais que nos cercam e que nos constitui conforme os grupos sociais que assumimos. Em todos estes, devemos sempre observar que haverá coisas que irão agradar a Deus e coisas que não irão agradar a Ele e é aí que entra o segundo ponto que quero tratar... o Discernimento.
Muitos que estão lendo esse texto devem ter nascidos em berço cristão. Faço esta observação pois, tanto vocês que nasceram como eu em um berço cristão, como aqueles que chegaram depois a Cristo, passam e vivem dentro de um processo constante de arrependimento e busca a Deus, não é uma possível oração que você fez algum dia aceitando a Jesus que o tornou salvo, mas sim a sua fé e o arrependimento sempre que peca, não uma vez, mas constantemente. Para aqueles que nasceram na igreja, esse processo muitas vezes se torna tardio e confuso, pois estar na igreja e orar se torna um hábito sem o coração, se torna um ato forçado pelos pais quando crianças e adolescentes, e com isso fica muito difícil saber quando você realmente foi tocado, não porque o toque de Deus é confundível, mas porque o homem é confundido, uma vez que nós seres humanos somos movidos por emoções e sentimentos. Então muitas vezes deixamos de adquirir um discernimento espiritual, pelo fato de não sabermos realmente o que estamos fazendo aqui, e de fato não estamos fazendo nada e acabamos vivendo uma "crise existencial permanente", cuidado que você pode estar vivendo desta forma até hoje.
Só existe uma forma de se adquirir esse discernimento da vontade de Deus e do que agrada a Ele: muita oração e muito estudo da palavra de Deus, veja bem, não disse leitura diária, não disse devocional diária, eu disse estudo da palavra de Deus. Creio que todos sabem diferencias muito bem como é ler um livro de história contendo guerras e fatos históricos de estudar um livro com guerras e fatos históricos quando se está no colégio. É o que Paulo ora em favor dos filipenses "O que eu peço a Deus é que o amor de vocês cresça cada vez mais e que tenham sabedoria e um entendimento completo, a fim de que saibam escolher o melhor. Assim, no dia da vinda de Cristo, vocês estarão livres de toda impureza e de qualquer culpa." (Filipenses 1:9-10). Paulo pede isso após visitar a igreja em filipos recém plantada e com muitos recém convertidos. Então não fique esperando “visões”, “revelações” e outras coisas de Deus, pois discernimento só vem com joelhos no chão e estudo da palavra.
Por último, quando devemos pedir conselhos a Deus? A partir do momento que você deixa o velho homem e se torna uma nova criatura:
"Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele." (Rm 12:2) "Felizes são aqueles que não se deixam levar pelos conselhos dos maus, que não seguem o exemplo dos que não querem saber de Deus e que não se juntam com os que zombam de tudo o que é sagrado!  Pelo contrário, o prazer deles está na lei do Senhor, e nessa lei eles meditam dia e noite." (Sl 1:1-2). A partir do momento que deixamos de pensar como o mundo, de ver como o mundo vê, ouvir o que o mundo ouve, proclamar o que o mundo proclama, passamos para um nível alto. Alto num sentido de estar voando com as asas do Espírito. Começamos a nos indagar nas coisas mais simples que se possa imaginar, começamos a orar pedindo pra Deus mostrar o que fazer amanhã, hoje, e principalmente falamos: “Deus minha vontade é esta... mas faça a sua vontade, me mostra qual é a sua vontade”.
Irmãos, porque comecei com aquele texto de Josué? A respota está no versículo 14 “Os homens de Israel aceitaram a comida deles, porém não pediram conselho a Deus, o Senhor.”
Estamos caminhando com Deus achando que estamos fazendo tudo certo e o que precisa ser feito? Pois era o que Josué vinha fazendo com o povo de Israel até aquele momento, ouvindo o que o Senhor tinha mandado através de Moisés, invadindo e aniquilando todos as terras inimigas, dividindo as terras entre as tribos, obedecendo as festas dos hebreus, mas quando chega uma prova perante eles, o que eles fizeram? Tomaram a decisao por si só. Vamos atentar para as situações que nos são apresentadas diariamente, podemos estar tomando decisões por nós mesmos, mas e as consequencias disso? Deus abençoe.

 Você está cansado de correr do amor de Deus?
Clame por Ele!
Não destrua tudo por suas vontades, busque o conselho de Deus!
...